Casa de Cultura de Rio das Ostras recebe exposição fotográfica

A luz do dia proporcionou o registro nítido de uma coruja - Foto: Isabel Valente
A luz do dia proporcionou o registro nítido de uma coruja - Foto: Isabel Valente

Belezas da fauna e flora de várias cidades poderão ser contempladas a partir do dia 5 de setembro

Antecipando a homenagem ao Dia de Defesa da Fauna e a chegada da Primavera, a Casa de Cultura de Rio das Ostras lançará a exposição fotográfica “Observação Cotidiana da Natureza”, da bióloga e professora Isabel Valente. O vernissage será no dia 5, às 18h, com apresentação do músico Gilbert T Chavon, que preparou um repertório especial com sua guitarra instrumental para encantar ainda mais os visitantes. A entrada é franca.

Ao longo de pouco mais de um ano, dezenas de espécies da fauna e flora de Paraty, Visconde de Mauá, Teresópolis, Tanguá, Niterói e Jardim Botânico do Rio de Janeiro foram fotografadas pela bióloga, mas sem nunca ter pensado em fazer disso uma exposição. Motivada por uma amiga, produtora cultural, apaixonada por fotografia, organizou as imagens e montou a mostra, que já tem agenda em outras cidades.

Borboletas, abelhas, besouros, coruja, flores, cogumelos e outras espécies foram captadas de ângulos diversos, mostrando minuciosamente suas especificidades e provando que, mesmo em meio ao desmatamento das florestas, as ocupações irregulares que se alastram por todo o País, ainda é possível encontrar pontos de conservação da biodiversidade.

“O interesse pela fotografia de fauna e flora veio pela própria inspiração da natureza, como pela fragilidade e brevidade de algumas espécies. Com o advento da tecnologia, vi a oportunidade de captar, por vezes, um instante de vida para poder compartilhar com meus amigos e alunos”, explicou Isabel, revelando que todas as fotos foram feitas com a câmera de seu celular.

“Na natureza me sinto inserida e à vontade. Foi então que observei que é possível fazer imagens belíssimas, bem de perto, mesmo sem ter uma câmera profissional. Isso me empolgou. Um olhar sensível para com a beleza que muitas vezes passa despercebida por causa da correria do cotidiano já contribui bastante (risos)”, finalizou a bióloga e professora.

A exposição fotográfica permanece na Casa de Cultura até o dia 26 de setembro.

Deixe seu comentário

comentários

Você também pode gostar...