Homicídios em Rio das Ostras, RJ, estão dentro da média, diz 32º BPM

retrato-capa

Para comandante, meta de zerar o número de crimes ainda é ‘um sonho’. Duplo homicídio poderia ser ‘em qualquer outro lugar’, diz delegada.

 

Apesar do clima de medo em Rio das Ostras, na Região dos Lagos do Rio, os três homicídios registrados em menos de 24 horas na cidade não fogem da média, afirma o comandante do 32º Batalhão de Polícia Militar, tenente-coronel Marcos Vollmer. Nesta sexta-feira (8), um homem foi morto a tiros no bairro Cidade Praiana. Na quinta (7), um homem a uma mulher foram assassinados ao saírem de uma casa noturna no bairro Jardim Marileia, na região central. Para a delegada da 128ª DP, Juliana Rattes, o duplo homicídio de quinta-feira poderia ter ocorrido “em qualquer outro lugar”.

As investigações do assassinato de Maique dos Santos Campos, de 28 anos, e Paloma Brandão, de 24 anos, mortos após saírem da boate, estão avançadas, segundo a delegada Juliana Rattes. De acordo com ela, a discussão poderia ter acontecido em qualquer cidade.

“Foi motivo fútil. Não tem um porquê. Foi em Rio das Ostras, mas podia ser em qualquer outro lugar. A gente sabe quem praticou, só não sabemos o nome dele. Foi uma discussão, ele tinha uma arma. Temos oitiva da vítima sobrevivente e de uma testemunha visual do crime. O retrato falado foi divulgado para ter a identificação do criminoso”, afirmou.

O comandante do 32º BPM analisa a situação como preocupante, mas dentro da média de segurança. “Está dentro da média de cálculo da meta de segurança. Não estou justificando crime, mas não foge à normalidade”, disse Marcos Vollmer, acrescentando, ainda, que mobiliza os agentes para evitar os crimes.

“Ninguém está mais preocupado que nós para evitar esses crimes. A gente não consegue zerar, pois é muito difícil zerar, ter meta zero. É um sonho. Não depende só da gente, mas também da população denunciar as situações erradas. Não há previsibildiade de crimes”, continuou o policial militar.

De acordo com o comandante, em Rio das Ostras, de janeiro a junho, 271 pessoas foram presas, e foram apreendidos mais de 19 Kg de maconha e 18 Kg de cocaína. Marcos Vollmer também afirma que os agentes do 32º BPM apreenderam 39 armas, 407 munições e recuperaram 14 veículos neste período.

A PM firmou uma parceria com a Guarda Municipal de Rio das Ostras para uso de motocicletas em patrulhamento em áreas de acordo com a mancha criminal. Sobre a possível transferência de policiais para a capital no período da Olimpíada, ainda não há certeza.

“Quando o secretário (estadual de Segurança, José Mariano Beltrame) reinaugurou o conselho de segurança, conversou sobre a tranferencia de policiais, mas não delegou nada. A principio eu não sei, depende da Força Nacional. Não sei como está o efetivo, se tem algum contratempo”, comentou.

Em nota divulgada à imprensa na quinta-feira (7), o comando do 32º BPM liga o aumento da criminalidade à crise financeira pela qual passa o país. “Independente da modalidade do delito a ser analisado, não podemos esperar que os índices criminais de 2016 fiquem similares aos de 2015. Como importante fator, não podemos deixar de observar os altos índices de desemprego que temos no país, e, consequentemente em nossa região”, disse a nota.

Sobre o homicídio desta sexta a delegada da 128º DP afirma que ele pode ter relação com o tráfico de drogas. Ela disse que também movimenta ações para coibir os crimes. “Temos tido muita apreensão de drogas, armas, bastante arma de uso restrito. Aqui, temos duas facções contrárias que a gente percebe que rivalizam. A gente tenta identificar esses chefes e integrantes pra prender essas pessoas”, explicou.

Fonte: G1

Deixe seu comentário

comentários

Você também pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *