Músicas, brincadeiras, relatos e emoção marcam a Hora do Mamaço em Macaé

Foto: Geovanni Jerry / Agência Photo Mais
Foto: Geovanni Jerry / Agência Photo Mais

Ato organizado pela Humanize Saúde para incentivar a amamentação reuniu mais de 150 pessoas na Praia do Pecado

Músicas, brincadeiras, depoimentos, emoção, amor e, claro, muita amamentação marcaram a segunda edição da “Hora do Mamaço” em Macaé. Cerca de 150 pessoas compareceram no último sábado, no quiosque Arco-Íris, à atividade que faz parte da Semana Mundial da Amamentação. Este ano, mais de 90 cidades brasileiras participaram. Com o tema “Todos juntos pela amamentação”, o ato teve como objetivo chamar a atenção para a importância do aleitamento materno e do apoio contínuo não apenas da família, mas de toda a sociedade, no aleitamento e no pós-parto.

Embaladas pela apresentação do músico Ricardo Badaró, do FloreSer – Centro de Terapias Integradas, as famílias compostas por muitas crianças e adultos se divertiram com performances lúdicas, além cantigas, composições infantis e muito carisma.

Na ocasião, algumas mulheres que se uniram para criar o Banco de Leite de Macaé, apoiado pelo Humanize Saúde, também participaram do Mamaço para divulgar o movimento como um complemento fundamental para a continuidade e fortalecimento do aleitamento materno.

Para André Gervásio, médico obstetra que compõe a Humanize Saúde – equipe interdisciplinar de apoio à gestação, parto humanizado, puerpério e amamentação, organizadora do Mamaço em Macaé, a atividade superou as expectativas. “Nosso objetivo era sensibilizar a participação não apenas das mamães que estão amamentando, mas também de outros membros da família, especialmente os pais, para que compreendessem melhor o seu apoio durante a amamentação. E conseguimos. Observamos a presença de muitos pais, avós, irmãos. Isso nos deixou muito felizes e com o sentimento de que estamos conseguindo transmitir essa importância”, disse o médico.

Pai de uma bebê de com poucos meses, Thiago Baraldi foi um dos que relataram em público o quão fundamental é a presença da família ao longo do período de amamentação. “É preciso entender que a mulher não amamenta sozinha. Estar ao seu lado, pegar o bebê no colo, segurá-lo para arrotar são algumas atitudes que fortalecem o vínculo familiar, a segurança do bebê e o amor ao nascimento”.

Andreza Kiffer amamenta há mais de um ano o filho Théo, nascido de parto natural com o apoio da Humanize Saúde. Ela, que saiu de Casimiro de Abreu para participar do Mamaço em Macaé conta que quando soube que o ato estava sendo organizado pela Humanize, fez questão de participar. “A equipe Humanize é admirável e iluminada; me apresentou uma nova forma de enxergar o nascimento, a amamentação, a alimentação, a vida. Eu e meu marido ficamos muito satisfeitos com o acolhimento e também com essa atividade de tanta importância para incentivar o aleitamento materno”, declarou.

O Mamaço se originou na França, em 2006, numa reunião de mães que tiveram a ideia de amamentar simultaneamente os seus bebês em um grande encontro nacional.

Desde que o movimento começo no Brasil, uma das conquistas mais importantes foi a contribuição para a aprovação da Lei nº 414/2015, que proíbe a estabelecimentos que impeçam mulheres de amamentar em público.

A Hora do Mamaço 2017 em Macaé, realizada pela Humanize Saúde, contou com o apoio do FloreSer, Ana Amado Photography, PhotoMais, Bell´ Água Mineral e DNA Pilates e Estética.

Fonte: Ascom

Deixe seu comentário

comentários

Você também pode gostar...