Suspeito de integrar quadrilha que tentou enviar fuzis de guerra ao Brasil é preso no interior do Rio

Polícia quer usar fuzis apreendidos no Rio (Foto: Alessandro Ferreira/G1)
Polícia quer usar fuzis apreendidos no Rio (Foto: Alessandro Ferreira/G1)

A prisão foi em um apartamento na Rua Bangu, no Parque Zabulão.

Um homem de 30 anos suspeito de integrar a quadrilha de tráfico internacional de armas que tentou enviar fuzis de guerra ao Brasil foi preso na tarde desta segunda-feira (31) em Rio das Ostras, no interior do Rio. Os 60 fuzis foram achados, em junho, dentro de aquecedores para piscinas no Aeroporto do Galeão.

A prisão foi em um apartamento na Rua Bangu, no Parque Zabulão, após informações passadas à Polícia Militar pela Polícia Federal de que o homem, que tinha um mandado em aberto, estava escondido na cidade do interior.

Os agentes do Grupamento de Ações Táticas do 32º Batalhão da PM, com apoio do 25º Batalhão, encontraram o suspeito no local indicado pela PF e o levaram para a Delegacia de Polícia Federal no Galeão.

O homem é suspeito de integrar a quadrilha chefiada por Frederik Barbieri, um carioca apontado pela Polícia Civil como o maior traficante de armas do país; Frederick nega a acusação.

Quando apreendido, o armamento – fuzis AK-47, AR-10 e G3 – estava escondido em aquecedores de piscina. Os modelos das armas só poderiam ser usados por tropas de elite.

Fonte: G1/InterTV

Deixe seu comentário

comentários

Você também pode gostar...